terça-feira, 30 de março de 2010

COMO MATAR A ALMA DE UM PROFESSOR



O excelente texto abaixo foi cordialmente enviado por Duci Medeiros a quem expressamos nossos agradecimentos pela valiosa colaboração.

Como matar a alma de um professor

Caros Governadores, seguem abaixo várias dicas valiosíssimas, se vós seguirdes corretamente conseguirás, em pouquíssimo tempo, matar a alma de um professor, mas se fizerdes isto com a competência administrativa do excelentíssimo governador do rico estado de Pernambuco, matarás a alma de todos os professores do vosso estado:

1 - Comece por pagar o pior salário de um país continental, assim ele vai se sentir cada vez menor e, além disso, divulgue que paga o piso nacional do magistério, dando a entender que o congresso nacional foi que definiu os valores pagos.

2 - Assine os jornais locais para cada professor, assim vós matais dois coelhos com uma única facada. A mídia torna-se sua cliente e os jornalistas vão divulgar os fatos sob a sua ótica e, o mais importante os professores vão ler aquilo que Vossa Senhoria quiser. Assim a sociedade vai acreditar em tudo que vós dizeis e os professores vão desacreditar de suas realidades.

3 - Dê laptops a cada um deles, de preferência depositando R$ 2.300,00 em seus contracheques a fim de que eles paguem o Leão, assim eles vão olhar para as máquinas em vários momentos do dia: quando chegar do terceiro turno de trabalho, quando seus filhos estiverem com fome, quando eles receberem os contracheques e quando suas barrigas roncarem. Claro que eles terão que tomar uma atitude, levar para as escolas e serem assaltados, aprender a trabalhar com eles e mudar de profissão, vendê-los ou fazer uma sopa de máquina. De qualquer forma eles parecerão incompetentes e vós um visionário e benemérito.

4 - Dê importância à construção de algumas escolas de referência, assim vós tereis exemplos de bons modelos de escola para divulgar na mídia nacional. Pagarás três vezes mais ao professores escolhidos pelo modelo QI, dividindo assim, a categoria dos professores.

5 - Faça capacitações em hotéis luxuosos em cidades interioranas. Assim poucos professores poderão ir, pois eles trabalham em várias escolas e não poderão se ausentar. Assim vós gastareis pouco dinheiro com as capacitações e os professores ficarão angustiados e desacreditados como profissionais, pois parecerá que eles é que não investiram em suas capacitações porque não quiseram.

6 - E para completar as dicas, use vosso poder: ameaçando, denegrindo imagem, falsificando informações, omitindo fatos e substituindo profissionais por estudantes quando eles, os professores ingratos e anarquistas, quiserem ousar fazer greve. Assim a sociedade terá vergonha dos professores; os alunos terão vergonha dos professores; os professores que trabalham em escola de referência terão vergonha dos professores; professores que só tiverem uma fonte de renda terão que furar a greve e terão vergonha de si mesmos e dos outros professores; os bravos e guerreiros que mantiverem a greve terão vergonha dos outros professores.

7 - Com todas estas atitudes orquestradas e sintonizadas, excelentíssimos governadores obterão sucesso diante das almas dos professores que retornam as suas atividades profissionais desacreditados, desesperançados, desestimulados e com vergonha de ser professor do Estado de Pernambuco, vergonha de ser professor no Brasil, vergonha de ser...

segunda-feira, 29 de março de 2010

"Professores Derrotados"? Agora aguentem...


Recebi por email da professora Giovanna


Prezados amigos e amigas,

Sei que o texto abaixo é um pouco longo e que o tempo de vocês é curto, mas, de coração, gostaria que vocês tirassem um tempinho para ler e, se concordarem com o mesmo, repassassem ao maior número de pessoas que vocês conheçam, via e-mail ou da melhor forma que vocês achem conveniente.

Acredito que qualquer país ou Estado para se desenvolver deve investir massiçamente na Educação. Acredito, também, que o professor é peça fundamental no processo de ensino aprendizagem. É ilusão achar que a educação há de melhorar, sem termos um professor motivado, capacitado e, principalmente, bem remunerado. No entanto não é isto que ocorre no Brasil, embora exista hoje em dia muito marketing sobre a educação, inclusive com as empresas dizendo estarem muito empenhadas com a educação. Quem já não viu, na mídia, propagandas e afirmações como "Todos pela Educação", "Amigo da Escola" etc, etc. Em Pernambuco a situação é muito grave: paga o pior salário do Brasil! Entretanto o governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB) é muito bom no marketing, principalmente em espalhar “falsas verdades” e se afirmar como um governador comprometido com a educação. Como educador, poderia apontar inúmeros problemas da educação em nosso Estado, mas, resolvi eleger apenas dois para tecer algumas considerações:

1. Existem em Pernambuco duas Escolas, uma pra mostrar na mídia como sendo a regra e outra, a verdadeira, pra esconder ou negar sua existência.

A primeira é chamada de “Escolas de Referência” que são bancadas pela iniciativa privada e onde os alunos recebem um fardamento diferenciado (bem melhor que o distribuído ao restante dos mortais alunos), uma merenda também diferenciada, as escolas são totalmente reformadas (embora se possa questionar a qualidade de tais reformas) e os professores uma gratificação de 194% nos salários. A segunda, que é a grande maioria, são escolas caindo aos pedaços, onde falta o básico como cadeiras para os alunos sentarem, ventiladores, merenda de boa qualidade e, quando chove, alaga toda a escola, etc, etc. Nestas escolas também temos os professores recebendo o pior salário do Brasil conforme pode ser evidenciado nas tabelas anexas. Vale ressaltar que nas “Escolas de Referencia” os professores não levarão para sua aposentadoria os 194% de gratificação, portanto se aposentarão com um salário de fome, além de que o Governo do Estado, porque paga um salário melhor a eles, se julga no direito de proibir os mesmos de participar de paralisações, greves e até, pasmem, proibir as professoras de engravidarem. Vocês não encontrarão um documento oficial do governo dizendo isto, pois ele não é imbecil a este ponto, mas basta você dar uma volta nestas escolas e conversar com os professores (as) para comprovar a minha afirmação. E é esta escola que o governo usa em suas propagandas oficiais. A prova de que este tipo de escola não dá certo é que os primeiros lugares das escolas públicas, nos últimos vestibulares, não vêm das mesmas e sim da Escola do Recife, ligada a Universidade de Pernambuco e da Escola de Aplicação da UFPE que não se regem por regras nem modelos tão equivocados.

2. O pior salário do Brasil

Pernambuco paga o pior salário do Brasil a seus professores (R$ 1,016 por 200 horas aula), o que nos faz trabalhar desmotivados e estressados, pois como todas as pessoas temos nossas contas para pagar e filhos para sustentar. Para poderemos sobreviver temos que trabalhar em, no mínimo, duas escolas, o que não nos proporciona tempo para um lazer legal, participarmos de congressos, lermos um bom livro, etc, pois quando chega o final de semana estamos um caco só. O governador Eduardo Campos mente quando diz que está pagando o piso salarial e investindo nos professores. Ele diz que deu assinatura de jornal para os professores e notebook . Não queremos as coisas dadas, e sim um salário descente para que possamos escolher o jornal que queiramos assinar, ou o notebook que queiramos comprar. E que ninguém se engane, quando ele faz trinta mil assinaturas de jornais, os mesmos ficam em suas mãos. O que adianta dar notebook se o professor não tem um salário que dê para o mesmo ter internet em casa? (vide matérias em anexo). Ele diz que está capacitando os professores, converse com um professor a respeito de tais capacitações e você terá a certeza que as mesmas não funcionam e acabam sendo apenas dinheiro jogado fora, pois são mal elaboradas e feitas as pressas para não perder o dinheiro do Banco Mundial. E agora o pior: no ano de 2008 os professores do Estado de Pernambuco não tiveram aumento de salário e os que ousaram fazer greve para lutar pelos seus direitos, tiveram os dias parados descontados nos seus salários (sem qualquer possibilidade de repor os dias em greve), foram chamados de irresponsáveis, pelo excelentíssimo governador, que ainda mandou o batalhão de choque tratar-nos com todo o "carinho" que os mesmos possuem. Neste ano, o governador Eduardo Campos impôs aos professores uma proposta de "aumento de salário" que na verdade reduz os salários dos que têm mais tempo de sala de aula e ainda acaba com o plano de cargos e carreiras. Ao invés do mesmo incentivar para que o professor estude e se capacite mais, ele, por exemplo, diminui o percentual atribuído a qualificação do professor. A proposta feita por ele é vergonhosa, uma falta de respeito a todos os professores e a toda sociedade pernambucana.
Gostaria que vocês dessem uma olhadinha nos links e anexos abaixo e comprovassem o que falo e que também se lembrassem de, no dia 3 de outubro, não votar neste nefasto governador que ainda tem a cara de pau de ser o presidente de um partido que se intitula Partido Socialista Brasileiro, e muito menos nos deputados que aprovaram tal absurdo.
Um abraço a todos,

André Luiz Lima

Professor de História e cidadão brasileiro


P.S.: Segue, abaixo, a lista publicada no Jornal do Commercio com o nome dos deputados que votaram contra esta proposta absurda de Eduardo Campos, bem como a lista dos que votaram a favor:

Dos 38 parlamentares presentes, seis deputados de oposição (Adelmo Duarte, Augusto Coutinho e Maviael Cavalcanti-DEM, Antônio Moraes e Pedro Eurico-PSDB e Jacilda Urquiza-PMDB), e dois da base do governo (Isabel Cristina e Teresa Leitão) se posicionaram contra o projeto. Ambas são petistas e ligadas aos movimentos sindicais dos professores.

Segundo a ata de presença publicada no site da Assembléia Legislativa de Pernambuco estavam presente nesta dia tão triste os seguintes deputados


VOTAÇÃO DO PROJETO QUE REDUZ O SALÁRIO DOS PROFISSIONAIS EM EDUCAÇÃO

Deputados que votaram contra a redução salarial - a favor dos educadores

ADELMO DUARTE
ANTÔNIO MORAES
AUGUSTO COUTINHO
ISABEL CRISTINA
JACILDA URQUISA
MAVIAEL CAVALCANTI
PEDRO EURICO
TERESA LEITÃO - 08 (OITO) PARLAMENTARES

DEPUTADOS QUE VOTARAM A FAVOR DA REDUÇÃO – CONTRA OS EDUCADORES – INIMIGOS DA EDUCAÇÃO

AGLAILSON JÚNIOR/ HENRIQUE QUEIROZ
AIRINHO DE SÁ CARVALHO /ISALTINO NASCIMENTO
ALBERTO FEITOSA/ IZAÍAS RÉGIS
AMAURY PINTO/ JOÃO FERNANDO COUTINHO
ANDRÉ CAMPOS/ LUCIANO MOURA
BARRETO/ LUCRÉCIO GOMES
BRINGEL /MANOEL FERREIRA
CARLA LAPA/ NELSON PEREIRA DE CARVALHO
CARLOS SANTANA /MARCANTÔNIO DOURADO
CIRO COELHO /RAIMUNDO PIMENTEL
CLODOALDO MAGALHÃES /PASTOR CLEITON COLLINS
CORONEL JOSÉ ALVES/ SEBASTIÃO RUFINO
EDSON VIEIRA/ SÍLVIO COSTA FILHO
ELINA CARNEIRO
ESMERALDO SANTOS
EVERALDO CABRAL
29 (VINTE E NOVE) PARLAMENTARES

DEPUTADOS QUE DEIXARAM DE VOTAR- AUSENTES DO PLENÁRIO

AUGUSTO CÉSAR FILHO
CEÇA RIBEIRO
CLAUDIANO MARTINS
DILMA LINS
EDUARDO PORTO
ERIBERTO MEDEIROS
GERALDO COELHO
MIRIAM LACERDA
SÉRGIO LEITE
SOLDADO MOISÉS
TEREZINHA NUNES
GUILHERME UCHÔA
12 (DOZE) PARLAMENTARES

Links:
http://www.sintepe.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=612:proposta-salarial-do-governo-foi-rejeitada-em-assembleia&catid=60:campanha2010

http://jc.uol.com.br/canal/educacao/noticia/2010/03/24/deputados-aprovam-projeto-de-lei-que-reajusta-salarios-dos-professores-217480.php

http://jc.uol.com.br/canal/educacao/noticia/2010/03/25/assembleia-legislativa-ratifica-reajuste-nos-salario-dos-professores-do-estado-21

domingo, 28 de março de 2010

Desabafo de uma professora


Depoimento de uma amiga...(desabafo)...

Camões escreveu:"Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades". Nenhuma frase pode traduzir melhor o que sinto hoje, ví esta semana uma manchete de jornal que dizia:"Professores derrotados". posso lhes dizer com a consciência tranquila que, nós, professores estamos derrotados desde o dia que :

escolhemos como profissão, sermos professores do estado de Pernambuco;

desde o dia que acreditamos que poderiamos fazer a diferença;

desde o dia que resolvemos apostar na mudança de valores pela educação e cultura;

desde o dia que elegemos Eduardo Campos.

Um estado onde o governador aumenta o próprio salário de 18.000,00 para 22.400,00 e tem a coragem, ou a insensatez,de incorporar gratificações a um salário de miséria, e apregoar aos quatro ventos que aumentou salários, gratíficações aliás, que não vinheram de graça, são resultado de trinta anos de lutas.
Ao incorporar a gratíficação por tempo de serviço. o senhor governador e os senhores deputados nivelaram, professores com trinta anos de serviço (comumente depressivos, afonicos, etc) a jovens que acabaram de ingressar no magistério.
Ao diminuir os percentuais para quem faz mestrado, doutorado e especialização, certamente ele não pretende valorizar os educadores, ninguém em sã consciência, quer estudar mais para ganhar menos. Será que ao diminuir as gratíficações por difícil acesso (leia-se dificuldade para chegar aos locais de trabalho, que ficam no alto de morros, nas margens das matas, em comunidades onde haja risco de vida,etc), será que o nosso governador e os demais pretendem punir os que mais se esforçam?

Nosso salário não aumentou, nem aumentará tão cedo, uma vez que o "abono", que o governo deu para que não tivessemos o salário reduzido, não levado em conta nos calculos dos proximos reajustes, se houverem.Você pode estar pensando: Que tenho eu com isso? Não sou professor,meu filho não estuda na escola pública...Se você mora em New York ou no Edem, você está certo, mas se você mora em Pernambuco, estado que tirou em ultimo lugar no indice que mede a qualidade de educação e o primeiro em índices de criminalidade e violência e que ainda paga o pior salário para professores do Brasil; então você está tão imerso no problema quanto eu. Como se pode esperar ensino de qualidade se temos jornadas estenuantes de até 15 horas aulas ao dia para sobreviver? Somos nós, os professores estaduais que tentamos transformar uma juventude revoltada e sem esperança em cidadãos; somos nós que ensinamos a estes meninos e meninas o significado de palavras como Respeito ,Democracia, Dignidade, Solidariedade e agora Derrota, e posso lhes garantir fazemos o melhor que podemos, estamos entregue a nossa própria sorte (nós e os nossos alunos) se tem dúvidas visite a escola onde trabalho, ela funciona há 3 anos em um quartel desativado em frente a delegacia de Olinda no Varadouro;

Se quizer quais os argumentos que tenho para derrubar por terra lendas urbanas como: envie-me um email, terei prazer em respoonder. Peço a meus colegas professores que usem a internet (é mais difícil o controle pelos poderosos) o Orkut, enviem fotos de suas escolas, contem seus medos, suas dores, percam o medo, soltem o verbo,"a verdade vos libertará" Eu votei em Eduardo Campos e fiz campanha, e, pasmem comemorei cheia deesperança, mas"mudam-se os tempos e mudam-se as vontades"não haverá um só dia no qual eu não esteja em campanha, pela verdade.

Não, Eduardo não nos derrotou, a Educação de Pernambuco é que perdeu mais uma batalha. Os mais jovens (e competentes) estão largando o barco, tentarão outras profissões mais promissoras, os mais velhos e cansados como eu permanecerão na luta, sobrevivendo como pudermos,e queira Deus que os senhores políticos não consigam derrotar a Educação de Pernambuco, porque se isto ocorrer...Deus tenha piedade de nós, incluindo o senhor governador, os demais políticos, seus filhos e netos. Não corrigirei os erros de Português, é que estou numa Lanhouse e o meu tempo já se esgotou, assim que for possível envio umas fotos da escola aonde ensino"uma filmagem vale mais que mil palavras. Desejo a todos os políticos irresponsáveis e inconsequentes todos os males que nos causam, em dobro, e dores e pesadelos, por todo sangue inocente que a terra bebe, por todos os sonhos desfeitos e pelo choro amargo que engolimos,e a Deus, que algum sei que há, peço justiça.

Regina Carvalho.professora há 28 anos,22 anos na rede estadual de Pernambuco,150 horas, 911,00 salário

sexta-feira, 26 de março de 2010

Confraternização





















Edlene minha amiga e companheira de trabalho, ajudando a decorar a nossa sala.





Mãos


As nossas mãos não são simples instrumentos do cérebro para realização de tarefas; elas são também delegadas para missões difíceis, delicadas,próprias do ser humano.Somente o homem tem mãos.
O que o os olhos não podem expressar, fazemos com as mãos
Elas exploram, apalpam,, vêem.
As mãos recolhem, acolhem,, distribuem.

Os olhos contemplam, as mãos agem, se manifestam.
São elas que , acenam de longe, batem nas costas, aplaudem, rezam.

As duas têm a mesma formação cultural, mas geralmente só uma sabe escrever.
Jamais exploramos toda a potencialidade de nossas mãos.

As mãos simbolizam o próprio”eu” da criatura.
A personalidade nelas está gravada.
Muito mias que na cara e no nome, nossa identidade está nas impressões digitais

Na palma da mão há todo um jogo de linhas que desenham tanto o destino quanto a atividade humana.
Na verdade as mãos guardam grandes mistérios.
Elas são capazes de atos nobres, mas também podem espalhar desolação.

As mãos podem salvar e matar.
Espallhar sementes de amor e de ódio, acariciar ou agredir, abrir-se em doação ou fechar-se avarentas.

Mas o ideal é que nossas mãos estejamsempre a serviço do bem e da beleza, semeadoras de esperança, amor e paz.

Luis Fernando Veríssimo, Jornal do brasil,Revista de domingo, 15/05/92

Deficientes físicos dançando - Emocionante



Pintores com a boca e os pés




As múltiplas linguagens das mãos.

As múltiplas linguagens das mãos.

Objetivo:

Perceber as mãos como elementos de identidade, expressividade e comunicação.

Explorar diferentes possibilidades para executar um trabalho plástico sem o uso das mãos, como fazem os artistas sem mãos.

Observar como o homem se comunica através das mãos com gestos que complementam a palavrra, ou até mesmo a substituem, como no caso da linguagem do surdos(Libras)

Nessa atividade eu pedi que eles tentassem desenhar, pintar ou escrever sem utilizar as mãos. Alguns alunos acharam absurdo o meu pedido, os mais ousados colocaram em prática

Esse trabalho foi realizado com as turmas de EJA, III,IV, Médio, 1º ano D e E

O 1º D fez mímicas, o grande grupo foi dividido em dois, um grupo escolheu um filme e o outro uma música e daí partiram para a atividade.


















domingo, 21 de março de 2010

Você sabe por que o anel de compromisso é usado no quarto dedo?

Você sabe por que o anel de compromisso é usado no quarto dedo?


Existe uma lenda chinesa que pode explicá-lo de maneira bonita e muito convincente….



Os polegares representam os pais
Os indicadoresos representam seus irmãos e amigos.
O dedo médio representa você mesmo.
O dedo anular (quarto dedo) representa o seu esposo/a.
O dedo mindinho representa os filhos.
Agora, primerio junte as suas mãos, palma com palma, depois una os dedos médios de forma que fiquem os nós com os nós e voltados para dentro das mãos… depois encoste as pontas dos dedos restantes…
Assim você terá os polegares, os indicadores, os anulares e os mindinhos encostados pelas pontas, e os médios voltados para dentro. (como na foto)
Agora tente separar de forma paralela os polegares (representam os pais).
Você perceberá que se abrem, porque seus pais não estão destinados a viver com você até o dia de sua morte.Una-os de novo.
Agora tente separar da mesma maneira os dedos indicadores (representam os seus irmãos e amigos), você perceberá que também se abrem porque eles se vão, e têm destinos diferentes, como casar-se e ter filhos.
Tente agora separar da mesma forma os dedos mindinhos (representam os seus filhos).
Estes também se abrem porque os seus filhos crescem e quando já não precisem de você, se vão. Una-os de novo.
Finalmente, trate de separar os seus dedos anulares (o quarto dedo que representa o seu companheiro/a) e você se surpreenderá ao ver que simplesmente não consegue separá-los. Isso acontece porque um casal está destinado a permanecer unido até o último dia de sua vida. E é por isso que o anel é usado neste dedo.
Esta é uma dica de lótus para te dar boa sorte!

Marcos Valle - Viola Enluarada




Viola Enluarada
Marcos Valle
Composição: Marcos Valle / Paulo Sérgio Valle


A mão que toca um violão
Se for preciso faz a guerra,
Mata o mundo, fere a terra.
A voz que canta uma canção
Se for preciso canta um hino,
Louva à morte.
Viola em noite enluarada
No sertão é como espada,
Esperança de vingança.
O mesmo pé que dança um samba
Se preciso vai à luta,
Capoeira.
Quem tem de noite a companheira
Sabe que a paz é passageira,
Prá defendê-la se levanta
E grita: Eu vou!
Mão, violão, canção e espada
E viola enluarada
Pelo campo e cidade,
Porta bandeira, capoeira,
Desfilando vão cantando
Liberdade.
Quem tem de noite a companheira
Sabe que a paz é passageira,
Prá defendê-la se levanta
E grita: Eu vou!
Porta bandeira, capoeira,
Desfilando vão cantando
Liberdade.
Liberdade, liberdade, liberdade...

Monólogo das mãos


Ghiaroni

"Para que servem as mãos?

As mãos servem para pedir, prometer, chamar, conceder, ameaçar, suplicar, exigir, acariciar, recusar, interrogar, admirar, confessar, calcular, comandar, injuriar, incitar, teimar, encorajar, acusar, condenar, absolver, perdoar, desprezar, desafiar, aplaudir, reger, benzer, humilhar, reconciliar, exaltar, construir, trabalhar, escrever......

As mãos de Maria Antonieta, ao receber o beijo de Mirabeau, salvou o trono da França e apagou a auréola do famoso revolucionário;

Múcio Cévola queimou a mão que, por engano não matou Porcena;
foi com as mãos que Jesus amparou Madalena;
com as mãos David agitou a funda que matou Golias;
as mãos dos Césares romanos decidia a sorte dos gladiadores vencidos na arena; Pilatos lavou as mãos para limpar a consciência;
os anti-semitas marcavam a porta dos judeus com as mãos vermelhas como signo de morte!

Foi com as mãos que Judas pôs ao pescoço o laço que os outros Judas não encontram.
A mão serve para o herói empunhar a espada e o carrasco, a corda;
o operário construir e o burguês destruir;
o bom amparar e o justo punir;
o amante acariciar e o ladrão roubar;
o honesto trabalhar e o viciado jogar.

Com as mãos atira-se um beijo ou uma pedra,
uma flor ou uma granada,
uma esmola ou uma bomba!

Com as mãos o agricultor semeia e o anarquista incendeia!
As mãos fazem os salva-vidas e os canhões;
os remédios e os venenos;
os bálsamos e os instrumentos de tortura,
a arma que fere e o bisturi que salva.

Com as mãos tapamos os olhos para não ver, e com elas protegemos a vista para ver melhor.
Os olhos dos cegos são as mãos.
As mãos na agulheta do submarino levam o homem para o fundo como os peixes;
no volante da aeronave atiram-nos para as alturas como os pássaros.

O autor do «Homo Rebus» lembra que a mão foi o primeiro prato para o alimento e o primeiro copo para a bebida; a primeira almofada para repousar a cabeça, a primeira arma e a primeira linguagem. Esfregando dois ramos, conseguiram-se as chamas.

A mão aberta, acariciando, mostra a bondade;
fechada e levantada mostra a força e o poder;
empunha a espada a pena e a cruz!
Modela os mármores e os bronzes;
da cor às telas e concretiza os sonhos do pensamento e da fantasia nas formas eternas da beleza.
Humilde e poderosa no trabalho, cria a riqueza;
doce e piedosa nos afetos medica as chagas,
conforta os aflitos e protege os fracos.

O aperto de duas mãos pode ser a mais sincera confissão de amor,
o melhor pacto de amizade ou um juramento de felicidade.
O noivo para casar-se pede a mão de sua amada;
Jesus abençoava com a s mãos;
as mães protegem os filhos cobrindo-lhes com as mãos as cabeças inocentes.
Nas despedidas, a gente parte, mas a mão fica, ainda por muito tempo agitando o lenço no ar.

Com as mãos limpamos as nossas lágrimas e as lágrimas alheias.

E nos dois extremos da vida, quando abrimos os olhos para o mundo e quando os fechamos para sempre ainda as mãos prevalecem.

Quando nascemos, para nos levar a carícia do primeiro beijo, são as mãos maternas que nos seguram o corpo pequenino.

E no fim da vida, quando os olhos fecham e o coração pára, o corpo gela e os sentidos desaparecem, são as mãos, ainda brancas de cera que continuam na morte as funções da vida.

E as mãos dos amigos nos conduzem...
E as mãos dos coveiros nos enterram!"


Mãos


Nunca voltarei a ver minhas mãos da mesma maneira


Meu avô, com noventa e tantos anos, sentado débilmente no banco do jardim, não se movia. Estava cabisbaixo olhando suas mãos. Quando me sentei ao seu lado, não notou minha presença , o tempo passava, então lhe perguntei se estava bem. Finalmente, sem querer incomodá-lo, mas querendo saber como ele estava, lhe perguntei como se sentia.



Levantou sua cabeça, me olhou e sorriu.

Estou bem, obrigado por perguntar”, disse com uma forte e clara voz.


Não quiz incomodá-lo avô, mas estavas sentado aqui simplemente olhando suas mãos e quiz ter certeza de que estivesse bem, lhe expliquei.



Meu avô me perguntou: “Alguma vez você já olhou suas mãos? Quero dizer, realmente olhou suas mãos?”



Lentamente soltei minhas mãos das de meu avô, as abri e as contemplei. Virei as palmas para cima e loga para baixo. Não, creio que realmente nunca as havia observado. Queria saber o que meu avô queria dizer-me. Meu avô sorriu, e me contou uma história.



Pare e pense um momento sobre como tuas mãos tem te servido através dos anos. Estas mãos, ainda que enrrugadas, secas e débeis tem sido as ferramentas que usei toda a minha vida para alcançar, pegar e abraçar.



Elas puseram comida em minha boca e roupa em meu corpo. Quando criança, minha mãe me ensinou a juntá-las em oração. Elas amarraram os cadarços dos meus sapatos, e me ajudaram a calçar minhas botas. Estiveram sujas, esfoladas, ásperas e dobradas.



Minhas mãos se mostraram inábeis quando tentei embalar minha filha recém nascida.



Decoradas com uma aliança, mostraram ao mundo que estava casado e que amava alguém muito especial.



Elas tremeram quando enterrei meus pais e esposa, e quando entrei na igreja com minha filha no dia de seu casamento. Tem coberto meu rosto, penteado meu cabelo e lavado e limpado todo meu corpo.



E até hoje, quando quase nada de mim funciona bem, estas mãos me ajudam a levantar e a sentar, e se juntam para orar.



Estas mãos são as marcas de onde estive e a dureza de minha vida. Mas, o mais importante, é que são estas mãos que Deus tomará nas suas quando me levar a sua presença.



Desde então, nunca mais vi minhas mãos da mesma maneira. Mas lembro quando Deus esticou Suas mãos e tomou as de meu avô e o levou a Sua presença.



Cada vez que vou usar minhas mãos penso em meu avô; na verdade nossas mãos são uma benção. Hoje me pergunto: O que estou fazendo com minhas mãos? Estarei usando-as para abraçar e expressar carinho, ou as estarei brandindo para expressar ira e repulsa aos outros.

sábado, 20 de março de 2010